Reclamar

 

Aí você vê todo mundo reclamando de tudo quanto é tipo de coisas. Algumas reclamações são engraçadas e todos conseguem rir. Outras reclamações são dramáticas, emocionantes e cheias de razões que daria bem um enredo de novela.

Por trás do ato de reclamar pode-se esconder um orgulhosinho de ter um senso crítico muito apurado e dar uma sensação de bem estar por conta disso. “Sou especial, estou acima de média, consigo ver defeitos e melhorias sempre e em todo lugar” – pensa o ser humano.

Porém será que o hábito de reclamar é realmente bom?

Como todo o hábito quanto mais se pratica mais ficamos bom naquilo. Com o hábito de reclamar não é diferente!

A questão é que viciamos o nosso olhar em encontrar defeitos e apontá-los. Daí ficamos satisfeitos e sentindo que somos muito superiores por termos a percepção apurada.

Porém com o tempo isso cansa e nada parece bom. Tudo tem defeito, pessoas, lugares, eventos, países, artes e até nós mesmos.

Quando reclamamos, apontamos o dedo, estamos numa postura oposta a compreensão.

Sem compreensão deixamos de respeitar o diferente.

Sem respeito não conseguimos aprender com o diferente, pois não conseguimos ver nada de bom.

O Autor(a) ainda não preencheu suas informações biográficas públicas.
Gostou do artigo?

Deixe seu comentário abaixo: